Hoje as tulipas vermelhas estão cor de cactus

Cheias de espinhos dormentes…

Hoje o ponteiro

E o relógio

Correram inversos

Ao verso

que aqui jaz…

 

 

Hoje a lágrima desceu pálida

E a pele descascou levemente.

 

Hoje a densidade das marés repuxou o mar inteiro

E o amor que se mantinha

I

N

T
E
I
R
O

Veio e desaguou…

 

Hoje um cálice caiu trincado

E a poesia

riscada

Toda  se redesenhou

 

Agora

Sinto a brisa ligeira de uma breve sensação

 

Hoje a paisagem se retirou do horizonte

E reescondeu meu coração

 

Hoje

Tenho o frio,

Reinvento.

Solto meu cabelo no vento

E o meu olhar na solidão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *